sábado, 19 de março de 2011

Cingapura ou Singapura?

Como falei no primeiro post que escrevi, com o novo Acordo Ortográfico, o nome do país passou a ser Singapura com S, e não mais com C.

Antes do Acordo, o Brasil era o único país de língua portuguesa que utilizava a grafia com “C”. E já que o Acordo teve como objetivo unificar o idioma em todos os países que falam português, o Brasil agora teve que fazer mais essa mudança e começar a escrever com “S”, como todos os outros.

Infelizmente eu pareço ser uma das únicas pessoas a ter adotado a mudança, e tenho certeza de que quando escrevo Singapura o leitor pensa que sou eu quem está escrevendo errado. Além do mais, até no site do Itamaraty Singapura está com “C”… E eu estou prestes a mandar um e-mail para o Ministro...

Mas como sei que não adianta eu falar que é com “S” e não com “C”, consultei uma amiga que não só é professora de português (aka Miss Monte, praticamente o Pasquale da nova geração), como também mestra e doutoranda, para provar para o mundo de uma vez por todas que é Singapura e não Cingapura:

Base III
Da homofonia de certos grafemas consonânticos*
Dada a homofonia existente entre certos grafemas consonânticos, torna-se necessário diferenciar os seus empregos, que fundamentalmente se regulam pela história das palavras. É certo que a variedade das condições em que se fixam na escrita os grafemas consonânticos homófonos nem sempre permite fácil diferenciação dos casos em que se deve empregar uma letra e daqueles em que, diversamente, se deve empregar outra, ou outras, a representar o mesmo som.
Nesta conformidade, importa notar, principalmente, os seguintes casos: (...)
3.º Distinção gráfica entre as letras2 s, ss, c, ç e x, que representam sibilantes surdas: ânsia, ascensão, aspersão, cansar,conversão, esconso, farsa, ganso, imenso, mansão, mansarda, manso, pretensão, remanso, seara, seda, Seia, Sertã,Sernancelhe, serralheiro, Singapura, Sintra, sisa, tarso, terso, valsa; abadessa, acossar, amassar, arremessar, Asseiceira,asseio, atravessar, benesse, Cassilda, codesso (identicamente Codessal ou Codassal, Codesseda, Codessoso,etc.), crasso,devassar, dossel, egresso, endossar, escasso, fosso, gesso, molosso, mossa, obsessão, pêssego, possesso, remessa,sossegar; acém, acervo, alicerce, cebola, cereal, Cernache, cetim, Cinfães, Escócia, Macedo, obcecar, percevejo; açafate,açorda, açúcar, almaço, atenção, berço, Buçaco, caçange, caçula, caraça, dançar, Eça, enguiço, Gonçalves, inserção, linguiça,maçada, Mação, maçar, Moçambique, Monção, muçulmano, murça, negaça, pança, peça, quiçaba, quiçaça, quiçama, quiçamba,Seiça (grafia que pretere as erróneas/errôneas Ceiça e Ceissa), Seiçal, Suíça, terço; auxílio, Maxilimiliano, Maximino, máximo, próximo, sintaxe. (...)
Com a palavra, Ms. Monte:

“A homofonia nada mais é que o mesmo som produzido com letras diferentes (ex.: casa e azar). O som é o mesmo tanto para -sa- quanto para -za-. Grafema, grosso modo, é sinônimo de letra, mas sempre pensando nela como ligada a uma representação sonora. Neste 3o tópico da Base III, listam-se as palavras grafadas com s, ss, c, ç e x, cujo som seja de sibilantes (que sibilam, aquele som da cobra, sabe?) e que tem a grafia variante. Então, se antes se escrevia Cingapura, recomenda-se agora que se escreva somente Singapura.

No acordo de 1945, já constava um texto muito parecido com esse, inclusive com os exemplos dados. Porém, encontrei a seguinte observação sobre a questão:

"Apesar de Singapura fazer parte do exemplário, não estão previstos os casos em que a tradição lexicográfica portuguesa e a brasileira divergem nas designações toponímicas, por exemplo em Singapura/Cingapura."

O que significa que no Brasil tradicionalmente se grafa Cingapura. Como a ideia agora é unificar, o mais lógico que seria que passássemos a grafar Singapura, como já faz Portugal e como está previsto no Acordo.”

E se nos acostumamos com a queda do trema  e com o fato de ideia não ter mais acento, não estaria também na hora de começarmos a escrever Singapura com “S” maiúsculo?

16 comentários:

  1. Amém!
    Me sinto et ou chatonilda por sempre escrever Singapura.

    ResponderExcluir
  2. E quanto à concordância de gênero? Seria a Singapura ou o Singapura?

    Obrigado

    ResponderExcluir
  3. Ivan,

    Creio não se colocar artigo antes do substantivo próprio "Singapura". Portanto, "eu venho 'de' Singapura" e "vou 'a' Singapura", assim, sem crase. É uma exceção como nome de país, já que a maioria (dos famosos, pelo menos) é acompanhada de artigos.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Quanto ao gênero, Singapura se equipara a Portugal, ou seja, sem gênero próprio.

    ResponderExcluir
  5. Ah, é?... Eu gostava do/da Portugal de antigamente?

    ResponderExcluir
  6. Esclarecidíssimo!

    ResponderExcluir
  7. Eu acho essa mudança uma m! Publico artigos na web e sempre vem um desinformado me "alertar" que estou escrevendo errado! Pô! A gente se esforça pra aprender e se manter atualizado e ainda passa atestado de burro! É f...!

    ResponderExcluir
  8. então é com S ou C, afinal?

    ResponderExcluir
  9. O Houaiss ainda escreve Cingapura (no verbete cingapurense).
    João B. L. Ghizoni
    Florianópolis, SC

    ResponderExcluir
  10. Santo Deus! É com S!

    ResponderExcluir
  11. Parabéns excelente texto!

    ResponderExcluir
  12. muuito boom!!! palmas!!!!

    ResponderExcluir