segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Ilhas Phi Phi e Koh Khai - Tailândia

As ilhas Phi Phi consistem em Ko Phi Phi Don e Ko Phi Phi Leh, um paraíso natural obrigatório para quem está na região de Phuket ou Krabi (no continente tailandês). A primeira, na verdade, consite em duas ilhas unidas por um istmo, e já está completamente dominada pelo turismo. Hotéis, restaurantes, bares, lojinhas... Já a segunda é inabitada (empreendimentos são proibidos), mas muito popular para day trips (muito mesmo, tá), e ficou famosa por causa do filme “A Ilha” com Leonardo DiCaprio.

Há diversas maneiras de se chegar às Phi Phi islands: passeios prontos de agências de turismo (cuidado com as enrascadas, como barcos grandes demais ou que param em muitas praias, fazendo com que você tenha só 15 minutos em cada uma), aluguel de barco, ou pegando a balsa em Phuket ou Krabi, e então alugar um “longtail boat” e ir aonde você bem entender. Na minha opinião a primeira opção é a mais segura, mas você não terá muita privacidade ou flexibilidade. A segunda é a mais cara e a terceira é um tanto quanto arriscada, pela falta de estrutura e “segurança” que uma agência de turismo proporciona, mas você pode ir onde bem entender e não precisa seguir o cronograma de uma agência.

Nós optamos pela primeira opção e compramos um pacote de uma agência perto do hotel. Foi muito tranquilo, incluía transfer do hotel para a marina em van com ar condicionado, speed boat para as ilhas, água, refris e frutas no barco, almoço em uma das ilhas e equipamento para snorkelling. Programa turistão, mas muito confortável e sem grandes problemas.

A vantagem do speed boat é que a viagem é mais rápida – o trajeto de Phuket para Phi Phi pode levar até 2 horas, dependendo da potência do barco. A desvantagem é que você fica lá sacolejando com mais 29 desconhecidos, e pode ter o azar de alguém vomitar o café da manhã no seu pé.

Bem, começamos o passeio em Maya Bay, a tal praia onde “A Ilha” foi filmada. Jesus Maria José, o lugar é lindo de morrer. Fiquei de queixo caído, babando mesmo. Mas é preciso dizer que por causa do filme que a deixou famosa, a baía agora está INFESTADA de speed boats cheios de turistas. Metade da praia é estacionamento de barco, a outra metade (demarcada por bóias) é o único lugar onde é permitido nadar. Nem preciso dizer que esse lugar também parecia o piscinão de ramos, uma feijoada de gringos.

Os mais sensíveis vão se irritar muito com a exploração turística dessa praia paradisíaca, mas minha sugestão é que você vá preparado, mas vá. Vale a pena.

A próxima parada foi Loh Samah Bay, um paraíso para snorkelling. Fui a primeira a me jogar na água e só voltei pro barco quando o guia ameaçou ir embora e me largar lá. Nunca tinha nadado perto de corais e ver todos aqueles peixes e as cores do fundo do mar foi um desbunde. O próximo passo é um curso de mergulho de verdade, um sonho que venho adiando há anos. Agora não tem desculpa, o momento não podia ser mais perfeito.

Depois fomos para Pileh Cove, quase uma lagoa natural de água tão azul que você só vê em folder de agência de turismo. Pulamos da frente do barco repetidamente (inclusive o sogro!), alguns saltos olímpicos e outros mais rústicos (tipo bomba).

A cada momento que o guia dizia que era hora de ir embora, eu sentia um mix de tristeza e empolgação, imaginando quando eu voltaria e qual seria a próxima parada!

Então chegamos em Phi Phi Don, a tal ilha mencionada no começo do post que foi invadida pelo turismo. De longe já é possível ver os diversos hotéis, bangalôs e bares de beira de praia. O lugar também é lindo maravilhoso, mas nesse momento confesso que me concentrei mais no almoço do que na ilha. Ninguém é de ferro...

Depois do almoço fomos para Monkey Beach, uma pequena praia de areia branca cheia de macacos por todos os lados! O guia distribuiu amendoim para que pudéssemos alimentar os “primos”, mas disse que devíamos permanecer na água e não entrar na praia. Pela quantidade de macacos que eu vi ali, não me arriscaria a desobedecer as instruções. Parênteses: quando tinha uns 10 anos estava andando na praia com meus irmãos e um cara passou com um mico no ombro. O mico olhou pra mim, eu olhei pro mico, o mico olhou pro meu cabelo e se deu um salto duplo carpado em minha direção (Olimpíadas tá na moda, né gente), depois ficou lá se pendurando nas minhas madeixas até o dono se tocar e tirar o bicho de mim. Fo uma experiência traumática e desde então tento manter uma distância saudável de macacos livres. Fecha partênteses.

Depois de mergulhar em águas cristalinas, nadar com os peixes e alimentar macacos, fomos para Koh Khai, a última parada da nossa day trip. Me senti um pouco no Brasil, com as diversas barraquinhas vendendo drinks, comidas e souvernirs, mas passei grande parte do tempo snorkelling, vendo os peixinhos e procurando os tubarões que o guia falou que nadavam por ali (uau, depois de escrever essa frase notei o quão absurda ela soa).

Enfim, estava lá toda feliz com a cara na água quando de repente tudo ficou escuro e todos os peixinhos sumiram. Por um momento me senti em “Procurando Nemo” e só depois de tirar a cabeça da água é que notei que estava chovendo. Quando a chuva parou voltamos para o barco, que nos levou de volta para Phuket.

O dia foi maravilhoso e, a experiência, inesquecível! Não vejo a hora de fazer o curso de mergulho e voltar para as ilhas do mar Andaman o mais rápido possível!

6 comentários:

  1. Único comentário: Inveja!
    Por favor, não me leve a mal, mas enquanto isso eu tô aqui nessa SP garoenta, que não abre um diazinho sequer de sol!...rsrs...
    Brincadeira, curte mesmo, porque a vida é boa pra quem sabe aproveitar.
    Ah, eu entrava no seu flickr pelo link, agora como eu faço pra te achar?
    bjs

    ResponderExcluir
  2. PROCURANDO tubarão? Pirou???
    Aposto que quando os peixinhos sumiram e tudo ficou escuro você achou que era tubarão! confessa...

    Adorei!!! E faz mesmo o curso de mergulho, mergulhar é maravilhoso. Saudades...
    beijo

    ResponderExcluir
  3. Que incrível deve ter sido.
    Estou aqui só imaginando...
    beijos
    re

    ResponderExcluir
  4. xuxuzinha, procurar tubarão?????????

    vc não tem dó da sua mãe???
    nem um pouquinho?
    afe!
    bjs
    mom

    ResponderExcluir
  5. Oi. Muito bom seu post e seu blog. Estou planejando ir a Puquet esse fim de ano, mas com suas dicas, vou até Phi Phi. Obrigado.

    ResponderExcluir
  6. RSR ORRRA MEU MASSSA .EU SOU FASCINADO POR ESSE LUGAR JA FAZ ALGUNS ANOS ...AINDA IREI CONHECER TAMBM HEHEHE ..OBRIGADO POR DESCREVE-LO COM DELICADEZA ...ACENDEU AINDA MAIS A MINHA VONTADE ..MUITO OBRIGADO

    ResponderExcluir