sexta-feira, 24 de julho de 2009

Malhação

Um tempo atrás um amigo me perguntou no MSN o que eu faço aqui enquanto não estou trabalhando. Listei coisas básicas, sem grandes detalhes, como: cuidar da casa, procurar emprego, encontrar os amigos.

E ele retrucou: “ué, e academia?”.

Glupt. De cabeça baixa confessei que desde que mudamos para o apartamento ainda não tinha ido na academia. Detalhe: uma das razões para termos escolhido esse apartamento é que o condomínio é o máximo, tem sky gym e uma piscina digna de resort.

A ficha caiu forte, mas tão forte que por uma semana fiquei escutando zumbidos. Desempregada e desleixada não dava pra ficar. E então resolvi parar de enrolar e começar a frequentar a academia. É tão fácil, só preciso pegar o elevador e subir até o 34º andar, escolher um dos equipamentos e começar a me mexer.

Parece simples, mas eu sou meio preguiçosa. Em São Paulo, toda vez que me matriculava numa academia (e foram muitas...), encontrava uma característica do lugar para servir de estímulo. Na academia do prédio, a motivação é que as esteiras têm TV acoplada, e apesar de não ter muitas opções de canais (como não falo nem chinês nem malaio, só me resta o Channel 5, o principal canal de Singapura, em inglês), serve como entretenimento.

Então agora lá vou eu, no mínimo 3 vezes por semana, para a sky gym. Gosto de ir de manhã, logo depois de falar no MSN e Skype com o pessoal no Brasil, checar emails e dar uma arrumada na casa. Isso significa que subo na esteira por volta das 10h30, 11h da manhã – horário dominado por programas de culinária na TV.

No começo pensei que seria uma ótima idéia me exercitar enquanto aprendo como melhorar minhas técnicas (que técnicas??) na cozinha, mas com o tempo vi que é só um método avançado de tortura. Eu fico lá, me matando na esteira enquanto vejo como a Martha Stewart faz os melhores brownies do mundo.

Pensando bem, pode até ser que funcione. É uma técnica de motivação antiga, diria até rústica, quase como uma cenoura pendurada na frente de um cavalo.

É... talvez funcione.

5 comentários:

  1. hahahaha

    tortura chinesa!!! Melhor levar o iPod!
    Ou você tem razão, talvez funcione mesmo como a cenoura...

    ResponderExcluir
  2. Engraçado! Eu me sinto exatamente como o coelho e a cenoura quando eu faço esteira, mesmo sem a TV. Só acho que o programa de culinária como isca só pioraria as coisas. Deslique a TV e pense que você e3stá caminhando para chegar a um lugar bem bacana. Acho que funciona, já que a lógica da cenoura é impossível de evitar. rs

    ResponderExcluir
  3. força Macau! tô tentando deixar a preguiça de lado (já faz tempinho...kkk)

    PS: tô tentando passar pro nível avançado do Twitter pra mexer melhor nele...

    bjão!!
    Aninha Taiba

    ResponderExcluir
  4. MH,
    funciona pra me manter interessada e ficar pelo menos meia hora!!

    Rê,
    caminhar para chegar num lugar bem bacana é lúdico demais pra mim. Melhor colocar um criminoso correndo atrás de mim pra eu ter que fugir! hehehe

    Taiba,
    Pelo menos agora vc tem tempo de comentar no blog! Ta trabalhando demais hein!

    beijos

    ResponderExcluir
  5. Repito o comentário do post de 29 de julho, dança do ventre tribal queima mais calorias e deixa o abdomen durinho e ainda pode faturar dando as aulas...
    Lilian - Sarah

    ResponderExcluir