segunda-feira, 4 de maio de 2009

Update

Depois de uma intensa semana agindo como turistas (sem muito tempo para escrever no blog), posso dizer que ainda não conseguimos ver tudo que se tem pra ver em Singapura. Como o Steven só tinha uma semana de férias, demos prioridade às mais populares atrações. Foram elas:

- Sentosa (a ilha da maravilha)
- Singapore Flyer (a maior roda gigante do mundo – maior que a London Eye)
- Zoológico (sem dúvida o zoo mais bonito que eu já vi!)
- Bus tour (porque ninguém é turista de verdade sem andar num desses ônibus)
- Passeio de barco no Singapore river (no fim da tarde não é tão quente, e o pôr do sol é lindo)
- Raffles Hotel (tradicionalíssimo e chiquérrimo, com o famoso (e turístico) Long Bar, que serve o Singapore Sling, drink com gosto de xarope de tutti-frutti)
- Jardim chinês (que fica do lado do jardim japonês, mas a fome nos impediu de chegar até ele)

Ainda falta muita coisa, que eu terei que fazer sozinha. Não que seja um problema, porque tempo é o que não me falta. Como ainda preciso esperar a aprovação dos vistos para começar a busca oficial por emprego (sem status do visto no CV, vão me descartar na primeira leva), ainda posso me dar ao luxo de continuar explorando a cidade. Essa semana pretendo conhecer:

- Chinatown
- Little India
- Arab Quarter
- Asian Civilizations museum
- Singapore History museum
- Peranakan museum
- Jardim botânico

Isso sem falar na Orchard Road, que fica do ladinho do meu hotel, e é o paraíso das compras que enlouquece qualquer um. São 24 shopping centres ou lojas de departamentos em uma única rua, sem considerar as ruas adjacentes.

O número é mesmo surpreendente. Andei pela Orchard Road em um dia de semana à tarde, e fiquei impressionada com o número de pessoas circulando por ali nas ruas, shoppings, cinemas, restaurantes... É tanta opção de lugar que até o consumista mais experiente ficaria confuso.

E, se não me falha a memória, em toda Singapura existem mais de 200 shopping centres – tem para todos os gostos: shoppings com lojas caras, ou só de eletrônicos, ou só de cosméticos, ou mais populares... A maioria deles abre diariamente, das 10h ou 11h às 22h, inclusive feriados (sexta-feira 1º de maio foi uma loucura...). Alguns shoppings ficam abertos aos sábados até a meia-noite.

Enfim, se Singapura fosse mais perto do Brasil, com certeza Miami perderia o título de destino preferido para compras.

Mas por enquanto, enquanto ainda estou desassalariada, nada de me empolgar nas trocentas lojas daqui. Foco nos programas turísticos, museus, parques e caminhadas.

E agora, para complementar meu perfil de turista-exploradora, além do meu inseparável guia do Lonely Planet vou poder carregar sempre na bolsa minha mais nova descoberta: a revista Time Out Singapore, que traz todos os eventos, shows e destaques do que está acontecendo na cidade.

Antes de começar, talvez dê só uma passadinha no shopping pra comprar um tênis, sabe como é, o meu ficou no container...


PS – as fotos no Flickr já estão atualizadas, é só clicar no slideshow aí do lado.
PS2 - No site http://www.hotel.pt/ você pode fazer reservas de hotéis no mundo todo

3 comentários:

  1. E o paraíso das compras tem preços legais? Eu achava que tudo aí era mais caro...

    ResponderExcluir
  2. Tem de tudo... até agora não consegui explorar os shoppings, tem tantas outras coisas pra fazer!!!

    ResponderExcluir
  3. É bom amiga vc ja ficar sabendo de tudo... assim qdo a galera for visitar, vc já estará pró!! hehehe

    ResponderExcluir