quarta-feira, 6 de maio de 2009

Shop hopping

Ontem resolvi explorar a Orchard Road para matar a nossa curiosidade. Saí linda, leve e fresca de jeans e tênis, porque ontem o dia estava tão gostoso e eu estava crente que hoje seria igual. Os primeiros três quarteirões foram ótimos, me senti num dia normal em SP. A partir do quarto, meu amigo... a coisa ficou preta.

Mas continuei com meu propósito de explorar a avenida, e o único jeito de fazer isso é mesmo à pé. Para aliviar o calor, ia andando pelas sombras, parando de vez em quando na frente de uma loja que estava com a porta aberta liberando um arzinho gelado...

Vi muita tranqueira, mas também várias lojas legais. Só entrei em cinco shopping centres. Só? É, se você considerar os tais 22 que tem na rua, cinco é pouco. Então, com base na minha andança de hoje, pude notar que:

- The Paragon e Ngee Ann City/Takashimaya são os shoppings mais chiques, com as marcas mais top (Prada, Gucci, Armani, Ferragamo... preciso continuar?) e preços mais inacessíveis
- Tangs é uma loja de departamento tipo El Corte Ingles na Espanha, ou Macy’s nos Estados Unidos, e na sessão de coisas para cozinha têm várias pessoas demonstrando os produtos (panelas, forninhos, etc) e fazendo comida em tempo real, muito legal isso! E o cheiro estava uma delícia. Até parei para ouvir a primeira mulher, mas ela só falava chinês. A segunda falava singlish, e quando eu parei pra olhar ela começou a falar olhando só pra mim e, além de eu não entender direito o que ela falava, fiquei meio sem graça com a tiazinha me encarando.
- Wheelock Place, Wisma Atria são shoppings com diversas lojas mais acessíveis

E sobre os valores, ainda é difícil dizer. Nenhuma vitrine expõe os preços ao lado das peças, então se você gostar de algo vai mesmo ter que entrar para descobrir. A única loja que entrei foi a Sony Style, e vi que um Sony Vaio sai em média por R$ 2.900 (cotação de ontem), enquanto que no site da Sony no Brasil o mesmo modelo sai por R$ 5.499. Acho que isso confirma a suspeita de que eletrônicos aqui são mesmo mais baratos.

Encontrei todo o tipo de gente, orientais, ocidentais, turistas, residentes... Mas o que reparei nas mulheres orientais é que elas deixam as unhas dos pés compridas e bem feitas. Quem me conhece sabe do meu problema com pés e não consigo não reparar quando vejo uma coisa dessas... E unha do pé comprida é muito bizarro, por mais bem cuidada que seja! Como é que elas fazem pra colocar sapato fechado? E tênis? Não entendo...

Outra observação é a quantidade de loja de cosméticos, perfumes e afins, salões de manicures, pedicures e spas (e já vi Brazilian wax em vários lugares!) – a mulherada aqui é realmente vaidosa. E para fazer a mão custa no mínimo 20 dólares (R$ 29), o que não é totalmente inacessível.

Bom, depois de uma tarde andando de shopping em shopping (shop hopping), fiquei até com cãibra na mão. Por quê não nas pernas? Porque passei muito tempo fechando as mãos com bastante força para não cair na tentação das compras... É, esse lugar é um perigo...

5 comentários:

  1. você já tinha alguma vez escrito a palavra cãibra??? Depois que li o post até fui no Aurélio procurar se existia mais de uma maneira de escrever, porque me pareceu muito estranho...rs... Enfim, adorei a estória da CÃIBRA na mão pra segurar o "shop drive"...bjs, p.

    ResponderExcluir
  2. hahaha
    shop hopping, sensacional! Será que a minha paciência aguentaria uma rua cheia de lojas, com 22 shoppings? oh god

    ResponderExcluir
  3. Hehehehehe
    Eu ia ta com dor na mão de tanto carregar sacola...ahahahahaha

    ResponderExcluir
  4. Amiga, o que acontece contigo? Viajou 12 etapas do Melhor Motorista, incluindo Rondonópolis, e não aprendeu nada?
    Para estes passeios esqueça os jeans, corte com tesoura a manga da camiseta, na rua mesmo pode ser, assim como eu cortava nos postos de gasolina. Passando os shoppings chiques vc poderia ter comprado uma rasteira que deixasse todos os dedos dos pés de fora. Guarde os jeans com chave nos armários e só use vestidos leves e de alças.
    Importante: páre de citar "como a Macy's" cite^: como a C&A e ou a Renner, senão não leio mais, hein!!
    Beijo
    Lilian
    Ia deixar esse anonimo mesmo mas resolvi assinar e assumir.

    ResponderExcluir
  5. Pois é, menina, MMCB não me marcou o suficiente! Mas boa comparação, o clima aqui é tipo Rondonópolis depois da chuva!!

    Nem precisava ter assinado o comentário, de longe eu já saberia quem escreveu... hahaha

    ResponderExcluir