terça-feira, 12 de maio de 2009

Ok-lah!

Em Singapura são quatro os idiomas oficiais: chinês, malaio, tamil e inglês. Mas o que mais se ouve nas ruas, é o tal do singlish, que mistura elementos de todos esses idiomas em um dialeto único. O singlish tem influências do chinês e do malaio, principalmente, e gramática, pronúncia e vocabulário bem diferentes do inglês.

O governo de Singapura desencoraja o uso de singlish, e acredita na importância do povo singapureano se comunicar claramente com pessoas de outros países, nativas no inglês ou não. E para enfatizar o ponto, até criaram uma campanha, o Speak Good English Movement.

Vejam alguns exemplos do singlish:
• Dis country weather very hot one. – Nesse país, o clima é muito quente.
• Dat person there cannot trust. – Aquela pessoa não é confiável.
• How come never show up? – Porque você não veio? (o never substitui o didn't)
• I li badminton, dat's why I every weekend go play. – I like badminton, so I play it every weekend.
• When I was young, ah, I go to school every day. – Quando eu era jovem ia à escola todos os dias.
• You want beer or not? – Você quer uma cerveja?
• Can or not? – Isso é possível?
• No good lah! – Isso não é bom! (o lah é usado para dar ênfase)

É como se fosse uma simplificação meio rústica. Não existe pronome, tempo verbal ou uso do verbo “to be”, que é a primeira coisa que aprendemos em inglês. Mas é curioso ver como uma língua sem regras gramaticais soa rude. Curta e grossa!

Para complicar ainda mais a compreensão, ainda há o agravante da entonação. Sim por que eles não só economizam nas palavras, mas também nas sílabas. E, mesmo que tenham estudado inglês por anos e anos, podem ler e escrever perfeitamente, mas a pronúncia ainda vai ser, hum, peculiar... (tentando loucamente não escrever o que eu queria de verdade).

Eu raramente entendo o que eles falam, e normalmente acabo concordando com tudo que dizem, porque acho que é mais simpático do que ficar muda, olhando com cara de idiota enquanto espero por uma luz. Deixar seu futuro nas mãos da sorte não é lá muito sábio, mas é melhor arriscar do que ficar perguntando mil vezes o que eles querem dizer.

Por que o grande problema (talvez o maior de todos) é que quando você diz que não entendeu o que o outro disse, ele pode até repetir, mas não vai mudar uma vírgula na frase que já tinha sido dita inicialmente. Vai repetir igualzinho a primeira vez, com a mesma entonação e no mesmo volume de antes. Aliás, taí outro grande problema: se os caras conseguissem falar num tom audível, talvez até desse pra entender. Mas eles falam “pra dentro”, quase como um sussurro.

Talvez por isso tenha tanto anúncio de aparelho de surdez no jornal.

6 comentários:

  1. hahahaha


    deus me proteja de ter que encarar singlish no trabalho...
    Acho que com o tempo nosso ouvido acostuma com tudo, eu entendia o sotaque horroroso dos italianos, dos filipinos, dos indonésios... mas demora um pouquinho!

    espero que os comentários tenham voltado a funcionar pra mim! beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi Má!
    Nossa muito esquisito esse singlish né?
    parece grosseria mesmo! Mas vc se acostuma a ouvir..não a falar igual, pq fica horrível =)
    e como estão as coisas por aí?
    beijo!
    Carol Pira

    ResponderExcluir
  3. Oi Fifi! Eu imagino como eh dificil esse Singlish. Aquele negocio que vc. falou do MAH!! para enfatizar, eh bem parecido com o Tailandês. Fora que cada palavra no tailandes, tem notas sonoras que mudam totalmente o sentido. Máaa (enfraquecendo no final é cavalo) e Maaáá (aumentando do fina, é cachorro). A minha amiga também colocava Kra, no final de toda a frase, em sinal de respeito, especialmente com os mais velhos. Fora a pronuncia do V que eles trocam por U. Eles tambem tem dificuldade ai? HARWARD virava HAUARD. River, virava RIUER. Bem louco!
    Saudadinhas. Bjs! Andre.

    ResponderExcluir
  4. Ai amiga, eu entendi todas as frases em inglês sem nenhum problema, se precisar de tradução para alguma é só me pedir, aliás, acho que deveria ser usada universalmente! Seja mais flexível, acho que são as aulas de circo que em fizeram entender tão bem!!
    Concorde com tudo sim, os orientais e asiáticos amam MULHER SUBMISSA, os Scanienses também....
    Beijo
    Lilian

    ResponderExcluir
  5. Emi, essa lingua parece realmente esdruchula!!
    Resolvi comentar pq vc sempre reclama que ninguem comenta e acha que eu nao entro no site!!! Sou viciada, CHORO de rir com suas aventuras nesse lado do mundo!
    Miss you darling
    beijocas
    Mari Nascimento

    ResponderExcluir
  6. VALEEEEEU , tava precisando não acheei em nenhumm site só nesse *---*
    valeeu msm
    Bjo'

    ResponderExcluir