segunda-feira, 27 de abril de 2009

Táxi!

Sei que vocês vão me dizer que eu tenho um carma com taxistas, e que eu adoro falar no assunto, mas essa história realmente merece.

Antes de vir para cá já tinha ouvido falar que os taxistas aqui são extremamente gentis e atenciosos. Parênteses: ok, alguns são chineses e ficam fungando até o cérebro, mas pelo menos eles não cospem (é proibido!). Fecha parênteses.

O fato é que eles são mesmo muito simpáticos. Alguns falam um singlish bem puxado, e você precisa pedir para eles repetirem a mesma frase umas três vezes, mas tá valendo. Eles são sorridentes, fazem piadas, não tentam te enrolar fazendo um caminho mais longo e são extremamente honestos. Alguns nem gorjeta aceitam.

No sábado, depois da maratona imobiliária, pegamos um táxi qualquer na rua, loucos para voltar para o hotel e hibernar no ar condicionado. Estávamos sem dinheiro, mas como já tínhamos pagado algumas corridas com cartão de crédito, não nos preocupamos. No meio da corrida o Steven resolve perguntar se o motorista aceitava cartão de crédito, e ele disse que não. Desespero total, ficamos nervosos, sem sabero que fazer. Explicamos a situação para ele e pedimos para parar num caixa eletrônico, mas ele disse calmamente que não podia. Só imaginem essa cena acontecendo no Rio de Janeiro, e qual seria a reação do motorista.

Enfim, o motivo por não poder para num banco é que os taxistas também têm regras que precisam ser seguidas e eles não podem estacionar no meio da rua para esperar um cliente. Então ele explicou que das sete empresas de táxi em Singapura, só duas aceitam cartão de crédito mas que isso não era problema, e que encontraríamos uma solução. Nos desculpamos muito pelo inconveniente, e ele viu que estávamos sem graça com a situação.

Então ele disse para não nos preocuparmos porque ele sabia que não tínhamos feito isso intencionalmente, que era um erro comum de quem não conhece a cidade e que o trabalho dele era oferecer uma alternativa. Por isso sugeriu que fôssemos para o hotel e pedíssemos para a recepção pagar a corrida e incluir na conta do quarto. Nunca vi isso acontecer em lugar nenhum, mas Singapura não é um lugar qualquer.

Resumo da história, o hotel não só pagou a conta como achou a coisa mais normal do mundo. Fica aí a dica para os desavisados como nós.

4 comentários:

  1. que bacana né?
    super prático!
    to adorando Singapuraaa

    hehe
    beijos má! conta mais!

    ResponderExcluir
  2. hahahaha

    imagina se aqui algum hotel pagaria a conta...

    ResponderExcluir
  3. MACAU!
    Você em SingaLand!! Já fez o city tour no "busãozinho". Eu fiz...durou exatamente 45 minutos...e todo o país estava explorado! kkkk
    Mande fotos de Sentosa Beach depois hein? Ah..já reparou que as avenidas que levam ao aeroporto são super largas e mega retas? Então...são pistas de pouso e decolagem para aviões - em caso de Guerra. Vivendo e aprendendo né? To curtindo seu blog...mas aí nao tem elefante na rua nao! Lá em Bangkok vc vai achar varios! rs Beijos!! PS: Quando experimentar a maravilhosa AIRASIA avisa!

    ResponderExcluir
  4. Oi Rodrigo! Fui pra Sentosa hoje, mas chovia horrores... vou escrever logo mais sobre a experiência. E o busãozinho tour queremos fazer amanhã, jura que é tão rápido?? Vamos ver... E outra coisa, ainda não temos viagem marcada, mas estamos considerando essa AirAsia.. é muito ruim? Dá mais dicas!
    bjs

    ResponderExcluir